terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Chomsky e Bloomfield

Competência e Desempenho

Competência é a visão da racionalidade humana caracterizada pela língua. É o que se conhece da língua como gramática, o sistema da língua. Tem relação com o conceito da langue de Saussure.
Desempenho é teoria correspondente a parole de Saussure. Em contrapartida, temos Chomsky defendendo o conceito de desempenho ligado a mente, preocupando-se com a potencialidade da língua do falante. Enquanto a parole de Saussure se preocupa com o processo de variação sociolinguística.

A Gramática Gerativa

"Sua finalidade não é ditar normas, mas dar conta de todas ( e apenas) as frases gramaticais, isto é, que pertencem à língua.
Assim é que surge a gramática gerativa de Noam Chomsky. Gerativa porque permite, a partir de um número limitado de regras, gerar um número infinito de sequências que são frases, associando-lhes uma descrição."
"Essa é a concepção de gramática: um conjunto de regras que produzem frases da língua."
"A teoria da linguagem deixa segundo sua proposta, de ser apenas descritiva para ser explicativa e científica."
"O termo gramática é usado de forma dupla: é o sistema de regras possuído pelo falante e, ao mesmo tempo, é o artefato que o linguista constrói para caracterizar esse sistema."

Universalismo Gramatical e Inatismo

"Como o que está em causa é um falante ideal, (...) essa teoria conduz ao universalismo."
"A faculdade da linguagem aparece aí como intrínseca à espécie humana: o homem já nasce com ela. A linguagem é inata."

Recursividade Linguística

O conjunto de enunciados potenciais em qualquer língua dada é numericamente infinito.  É aqui que entra a crítica a Leonard Bloomfield, quando Chomsky critica a opinião de que as crianças aprendem sua língua nativa reproduzindo, imitando os enunciados dos falantes adultos (teoria do estímulo-resposta).

Behaviorismo
Segundo esta escola, tudo produzido pela mente humana, inclusive a linguagem, pode ser satiusfatoriamente explicado como condicionamento de reflexos psicológicos.

Criatividade Linguística
Chomsky afirma que a criatividade é independente do estímulo. O que ele quer dizer quando fala em criatividade: o enunciado que alguém profere em dada ocasião não é predizível e não pode ser descrito como fruto de um estímulo linguístico.
No entanto, é uma liberdade de criação regida por regras e que se manifesta dentro dos limites estabelecidos pela produtividade do sistema linguístico.
As regras que determinam a produtividade das línguas humanas têm as propriedades formais que têm em virtude da mente humana. Isto nos leva ao mentalismo.

Nenhum comentário: