terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Langue e Parole - Ferdinand de Saussure

Vou estabelecer a postagem a partir de trechos do texto "As dicotomias Saussurianas" de Castelar de Carvalho e anotações feitas durante as aulas que, provavelmente, estarão entre parênteses.

Primeira dicotomia: Langue e Parole
"Fundamentada na oposição social / individual revelou-se com o tempo extremamente profícua (útil). O que é fato da langue está no campo social; o que é fato da parole situa-se na esfera do individual."
"Saussure afirma e adverte ao mesmo tempo: 'a linguagem tem um lado individual (parole) e um lado social (langue), sendo impossível conceber um sem o outro.' "
(Temos então, que a langue é a língua e a parole é a fala.)
(A langue é necessária para que a parole seja clara e compreensível. A parole estabelece as futuras mudanças da langue.)
"É tal a interdependência entre a langue e a parole que Saussure considera a langue, ao mesmo tempo, instrumento e produto da parole."

A Langue

*como acervo linguístico*
É o lado mental da langue.
"A langue, como acervo linguístico, ' é o conjunto de hábitos linguísticos que permitem a uma pessoa compreender e fazer-se compreender' e ' as associações ratificadas pelo consentimento coletivo e cujo conjunto constitui a langue, são realidades que têm sua sede no cérebro'.
Guarda consigo toda a experiência histórica acumulada por um povo durante a sua existência.
A langue é "uma soma de sinais depositados em cada cérebro, mais ou menos como um dicionário cujos exemplares, todos idênticos, fossem repartidos entre os indivíduos."

*como realidade sistemática e funcional*
É a capacidade lógica da gramática. É um sistema de signos que exprimem ideias.
"Nenhum indivíduo tem a faculdade de criar a langue, nem de modificá-la conscientemente. Ela é como uma armadura dentro da qual nos movimentamos no dia-a-dia da interação humana."

*como instituição social*
"Como qualquer outra instituição social, a langue se impõe ao indivíduo coercitivamente. Por isso, ela se constitui um elemento de coesão e organização social."
"A parte social da linguagem, exterior ao indivíduo, que por si só, não pode criá-la nem modificá-la; ela não existe senão em virtude de uma espécie de contrato estabelecido entre os membros da comunidade."

A Parole

Ao contrário da langue, se constitui de atos individuais, e, por isso, torna-se múltipla, imprevisível, irredutível a uma sistematização.
Ora, a Linguística só estuda aquilo que é recorrente, constante. Assim, a heterogeneidade da parole não permite que se haja um estudo sistemático."É a fala (parole) que faz evoluir a língua (langue): são impressões recebidas dos outros que modificam nossos hábitos linguísticos."

Conclusão: "A feliz dicotomia língua / fala é o ponto de partida para Saussure postular uma Linguística da língua e uma Linguística da fala (...) sendo que, para o mestre genebrino, a Linguística propriamente dita é aquela cujo único objeto é a langue."

2 comentários:

Anônimo disse...

no caso de um povo com menos 20 falante, e que busca na escola língua e fala de origem, por onde leles podem começar?

Anônimo disse...

no caso de um povo com menos de 10 falante, tem possibilidade reestabelecer novamente a sua lingua e fala?