segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

poema-que-veio-de-ônibus-veio-rápido-veio-correndo

Fiquei olhando pela janela do ônibus
Olhando pro chão que passa
Olhando a lama na calçada
Olhando a chuva caindo no meio-fio
E fiquei catando as palavras perdidas no chão
A cada quebra-mola, um til
Cada semáforo, uma vírgula...



Meu coração balança com o ônibus
Numa cadência melodiosa
Um buraco é um dó
Um quebra mola é o ré
A poeira é o maestro
A viagem é o tenor
A poesia...é a orquestra inteirinha.

3 comentários:

Claudia Capua disse...

Gostei muito desse seu poema!
Desejo que seu Natal venha recheado de muita PAZ, AMOR, LUZ DIVINA para abençoar cada vez mais a sua vida.
Um ótimo 2011 para vc e sua família!
Claudia Capua.

Fernando Vieira disse...

Bonitinho...

Valéria Lourenço disse...

Lindo poema Mari...
Ahh, aproveito para dizer que amei a foto nova do perfil.
Muitos lindos poemas neste ano que virá e em todos os outros.
É Muito bom ler suas entrelinhas.
Bjs.