segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

o nexo foi perdido. se encontrar, me ligue. ou não.

Plágio. Não. Não tenho medo. As coisas são tão repetidas mesmo. Não vai fazer diferença.O que é? O que que foi? Eu disse algo demais, mas por que? Eu não te falei nada, nada que você já não soubesse de acordo com o que conhece de mim eu só falei o que tu já sabia só não queria ver. Ela é boa, tão boa pra escrver coisas tão sem nexo quanto ela. Não leia, não leia ela, você não vai querer ficar com a voz dela na tua cabeça o resto da vida. Infeliz. É, ela é e sempre vai ser assim. Já viu como ela anda? O tempo todo lendo pelos corredores como se isso fosse grande coisa, sou muito melhor, muito mesmo, mas não adianta ela não tá nem aí. Ela é louca, se fosse você, cara, ficava longe dela, ela não é legal. Doida. Tô te dizendo, totalmente biruta, outro dia eu a vi falando sozinha. Mas ela não ligou, continuou falando e fazendo contas mentais, o que é mais doido ainda porque ela não faz matemática. Quem é? Alô? te convidei pra nada..não, você tá enganada. mas o que ela disse? Diálogos oblíquos, é pode ser. quem sabe? eu não vou ler não. não leio mais nada depois do que ela me deu, ela fica com aquela voz na minha cabeça, tô ficando doido, man.

E por que ela fez isso, ela é feia, não adianta ele não vai lá. Não vai. Isso é um absurdo tem que ter travessão. Isso lá é história, nunca, ela sabe o que é um parágrafo? não parece. ela não usa. não usa nem acentos às vezes.não adianta fazer história se não tiver nexo, ninguém vai gostar e se as vozes se misturam é pior ainda, ouvir vozes é loucura. esquizofrenia. perguntas, dúvidas, questionamentos? raios, trovões? da onde tá saindo isso tudo? sei lá, você não é a doida da parada , devia saber como anda sua saúde mental se quiser tenho o telefone de um psiquiatra muito bom, minha a....

Não, obrigada. obrigada mesmo.

Nenhum comentário: