segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O silêncio e a sombra

O plano secreto guardado no peito. Energia e atenção acumulados no plano, na ideia. A semente guardada na terra do silêncio, do segredo. A sombra perpassa o rosto, o enigma, o grande enigma. O sorriso de monalise...
Uma pedra aparece de repente. Subversiva, convida pra dançar. Nas sombras, é melhor. Os gatos correm, a lua nasce. Corremos pra brincar. A música começou. Está na grande hora. Vamos girar.
O silêncio, o giro, a sombra na parede, embaixo da pálpebra, o cisco.

O silêncio vibra, a sombra refrigera.
Gira e canta, gira e canta...

5 comentários:

Fernando Vieira disse...

Vc é poeta, menina! Um texto como este merece ser escrito em versos!

Abçs!

Mariana Belize disse...

Olá!
Obrigada pela presença aqui no blogue! Espero que volte sempre, sempre.
Forte abraço,
Mary

alexandramoraes disse...

uau!

Anônimo disse...

exato demais...

Mariana Belize disse...

Olá, Anônimo.
Na próxima, crie coragem e escreva seu nomezinho, por favor.
Fique na paz.