quinta-feira, 31 de março de 2011

Água-letra-viva

Esta carta vai fluir.Como uma água fresca que vai curar tua sede.Não para sempre, eu não te garanto.Mas por alguns momentos, talvez. Nunca tenho certeza de nada que minhas letras vão fazer. Só suponho.Esses momentos de saciedade virão enquanto você ler e enquanto não esquecer minhas palavras.Acho.
Primeiro, quero dizer que te amo.Nem importa como você entende isso, importa que você saiba a partir de agora, lendo isso aqui. Te amo. Eu repito, mais pela ênfase do que pelo conteúdo. É meio que um "presta atenção em mim" e esquece só por um segundo teus problemas, que são muitos.Acho isso de um extremo egoísmo da minha parte, mas não há tempo para ser boa em tudo. Você também me ama, mesmo com tua vida toda feita, mesmo com a tua idade pesando nas ideias, mesmo com tudo que você fala o tempo todo, mesmo com tudo.Que me importa se não me falas de amor? Eu sinto. Isto basta. Não importa se você me nega, esfrega, renega, mas não larga.E mesmo talvez nem seja verdade e você nem me ame. Ainda assim importa o que eu sinto. Eu te amo. Ponto. E mesmo meu sentimento, meus sentidos, minhas palavras, podem estar erradas. Eu amo. Amo, mesmo com tudo. Sem tudo, também. De qualquer jeito, em qualquer ocasião. Não tenho vergonha, mas não digo teu nome. Não. Não digo. É meu mistério, é meu segredo. É meu sorriso de Monalisa. Assim, talvez, você seja meu. Nos meus sonhos. Mas, não digo teu nome. Teu nome é  minha letra, meu espanto, minha consolação, meu canto. Profundamente intrincado. É meu quase tudo, é meu nada decadente. Amo.E não canso de lutar, mesmo por tão pouco, me preocupar, mesmo com tão pouco, e morrer todo dia, mesmo por tão pouco, mas já não choro, não vivo, só vibro, vibro, vibro. E espero.Minha vida é uma espera por um ônibus que não sei se passa por essa estrada ou eu se tou no ponto errado? Estou, talvez, nunca, não sei. Canto o meu canto de todos os dias, falo alto, me aflige a dor nas costas, nos dedos, na cabeça e no peito. Mas, não me desespero, não me mato, não fujo mais, não corro. Não quero. Eu só amo. Muito. Intensamente, mesmo unilateralmente, mesmo com tudo. Mesmo sem nada. Mesmo. Amo mesmo. E sofro. Escrevo e vejo. Olho, observo, incomodo.Mesmo com tudo. Mesmo sem nada.


Mesmo com tudo.
Mesmo sem nada.
Amo.

4 comentários:

Naaman disse...

Belezaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!

Mariana Belize disse...

Pai, eu nunca entendo direito teus comentários...
Belezaaaa???
Não entendi.
Beijos!

Naaman disse...

Beleza! Bonito! Bacana! Eu acho que quando era mais novo e gostava de alguma coisa falava: "Beleza!". Continuo falando...
Arcaísmos meus...
Segundo o Dicionário Houaiss:
2. caráter do ser ou da coisa que desperta sentimento de êxtase, admiração ou prazer através dos sentidos.
Exs.: a beleza das obras de Bach; aquela bacalhoada estava uma beleza; o texto da Mariana Belize é uma belezaaaaa!!!!!!!!!!!
Sacou? (Entendeu?)

Mariana Belize disse...

saquei!
agora saquei!
rsrsrsrsrs
beijos!