terça-feira, 12 de abril de 2011

Luz azul

Ah! Esse céu negro que me cobre
Num manto cheio de fel
Acobreado.
Eu, imersa em constantes angústias pueris,
firo-me em indigestos versos,
em turvas dores,
em mil e um amores inexistentes.

Sutil é teu olhar quando encontra o meu.
Queria morar nestes teus olhos infinitos.
Queria encolher-me nos teus abraços.
Queria morar nos teus abraços...

2 comentários:

/\ustin disse...

I like this, following :)

Mariana Belize disse...

Thanks, Austin!