sexta-feira, 29 de abril de 2011

Mulheres vermelhas

Hoje, descobri um segredo.
Um segredo do meu insucesso.
Cito uma citação como foi entendida,
não como foi ouvida (não sou boa,
com ipsis litteris), então taí:
Não consigo citar sendo imparcial, ok?
Relacionarei duas palavras de acordo com o que ouvi:
Beleza está relacionada a timidez.
...e foi um tímido que disse que
Mulheres lindíssimas são as que ficam vermelhas.
Não consigo citar sem meter meu bedelho...
Mulheres bonitas sentem medo?
Mulheres bonitas fingem.
E um de seus aspectos de fingimento é o vermelho nas bochechas,
é a hipocrisia manchada de blush na pele branquela, sem graça.
Não. Não te chamei de mentirosa.

Confesso, eu fico vermelha.
De raiva, de ódio, de choro, de dor. De sentimento!
Não de beleza, não de vergonha, não de ficar sem graça, não de blush.
Mas, o que você me disse me fez pensar.

Não gosto de gente que ri demais. Ponto!
Desconfio de quem é feliz demais. Sim!
Não gosto de gente que a tudo compreende! Que entende tudo!
Acho estranho quem não tem problemas.
Desconfio de quem não duvida de nada...
E você pode dizer o que quiser de mim.
Menos me chamar de hipócrita!

Não fico encabulada. Só me envergonho de meus erros...e olhe lá!
Não tenho pretensão de ser tímida, mesmo sendo.
Tenho noção da minha total capacidade? Não.
Isso é arrogância? Sei lá.

Cansei de implorar opiniões, comentários, respostas, correspondências mágicas, apostas...
Cansei de esperar que a vida se faça. Eu faço!
Cansei de esperar a poesia perfeita. Eu escrevo a imperfeição!
Cansei de esperar o amanhã. Faço hoje!
Cansei de achar que estou errada: o fundamentalismo não combina comigo.

Cansei de falar mal da maquiagem, da moda, de tudo do mundo.
Eu não saio de casa sem um rímel...
Cansei de falar mal das modelos.
Eu também combino roupa pra ficar bonitinha.

(Não adiantou!)

E não fico vermelha, não fico vermelha, não fico de cor nenhuma!
Mulheres lindíssimas, estou bem longe de vocês.
Não sei se é bom ou ruim. Tem que ser alguma coisa?
Mulheres poderosíssimas, estou bem longe de vocês também.
Não submeto ninguém aos meus pretensos "encantos", nem ao meu batom vermelho inexistente,
nem ao meu decote inexistente, nem à minha bunda enorme inexistente.
Se eu fosse depender disso, estaria perdida!

Mulheres são frágeis? Homens também sentem dores.
Mulheres e homens são iguais em seus desesperos. Em seus pesadelos.
(E eu já não consigo assistir novela mexicana sem rir dos personagens tão rasos. E de suas chantagenzinhas emocionais.)

Antes que você esqueça o objetivo do texto...
não fico vermelha, amo mesmo!
não tenho vergonha, vivo mesmo!
não falo baixo, grito sim e a plenos pulmões!
Eu sei, eu faço, eu ajo, eu canto, Eu amo!
Sem medo, sem vergonhas, sem hipocrisia, sem repressões!

não fico vermelha não fico vermelha nem cor nenhuma
eu sou minha atitude
eu sou minha voz alta
eu sou meus gestos amplos
eu sou meu corpo
sou minha
só minha
sozinha.

e repito:
não fico vermelha
não fico vermelha
não fico vermelha
não fico vermelha

e me desculpo:
não é nada pessoal
não é nada pessoal
não é nada pessoal
não é nada pessoal.

Mulheres lindíssimas, tenho medo de vocês.
Suas belezas me matam por dentro.
sou frágil...choro...sofro...fico sem dormir
procurando infinitamente a melhor pose, o melhor ângulo perfeito
procuro infinitamente o amor perfeito.
me erro, me escondo, não me escuto.
não me amo, não me basto
não me perdoo.
Mulheres lindíssimas, em meus sonhos, sou assim também.
Mulheres vermelhas, tenho medo de vocês!
Mulheres poderosíssimas, tenho pena de mim.

E a hipocrisia, agora, é só minha.
No fundo, no fundo, confesso aos gritos
só pra mim mesma:
quero ser outra!

2 comentários:

Alexandra Moraes disse...

muito poético.
muito feminino.
muito mariana.


muito.
lindo.

Mariana Belize disse...

obrigada, Xandoca. Nunca achei que um dia eu fosse ser sinônimo de poético ou de feminino. Vindo de você, estou me sentindo uma mini-Viginia Woolf.

hahahaha
beijos!