quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sem uma lógica qualquer

Distante de mim há outro eu
perdido, sem sentido de caminhar.
Distante de mim há outro alguém
pronto a apontar outro caminho,
outro jeito de se caminhar até
si mesmo.
Distante de tudo há aquela cidade perfeita
de utopias plenas
de crianças lindas
de flores na entrada
de natureza magistral
que nos ensina a sonhar com um tudo melhor
aqui e agora.
Distante, tudo está distante.
Você está distante
e eu sou só sonhos
sou toda intangível
sou toda fluidos
sou toda loucura
sou toda horizontes
longínquos.
Distante de tudo, distante do mundo, distante de você.
Aqui perto estão os carros, as coisas, as pessoas, o barulho, a fumaça
ah! aqui está tudo.
Aqui perto tem os pombos perdidos,
as borboletas pisadas,
as flores murchas,
o mato crescendo,
o prédio ruindo,
tudo desaparecendo.
Aqui perto, estou eu me convencendo
de que o mundo está mudando
de que tudo tem resposta
de que a vida é só uma
de que tudo tem esperança.
Aqui perto estão os carros, as coisas, as flores, os pássaros, os prédios
Ali longe está você, sobre a montanha, coberto de nuvens, olhando longe...
olhando o mundo!
Ali está você, saindo pela porta, acompanhado pelo mundo.
Ali está você, também perdido, sem saber pra onde olhar.
Ali está você, sem saber que procura a mim.
Ali está você. Distante de tudo, distante de sentido, distante de mim.
E, eu me apegando a minhas palavras...tão inútil, tudo inútil.

Ali, adiante, agora, no mundo
há outra vida
outra matéria
outro tudo.
Tudo novo? Será que há algo novo?
Ali, adiante, há outro sentido
uma rua cruzada com uma ideia
uma avenida pisada por outra concepção
e tudo é brilho
tudo são ideias
tudo será a vida?
Tudo é nada.
E eu estou aqui, enfurnada, nessas letras
que vazam todas de mim, sem que eu queira
sem que eu, ao menos, censure, controle
correm todas caudalosamente
sem represa.com pressa.
Caudalosamente
Escandalosamente
minhas e tuas
palavras que são nossas
ideias que não são de ninguém porque são de todos
e nada em mim faz sentido algum
porque tudo é nada
e tudo é um.