quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sou vida


Amo,
e todo meu riso
às vezes
se faz pranto...
Porém, amo.
E sempre de todo peito,
de toda alma,
de todo meu pequeno coração,
de todas as palavras,
de todo o sentimento,
pois
nada que é mais ou menos me basta,
nada que é pouco me consome,
nada do que é mísero me atrai!
Exageradamente louca!
Cruel, vil,
boníssima e amorosa!
Sou duas, três, outras tantas...de Nossa Senhora a Lady Macbeth
e ninguém nunca sabe como acordarei...
nem como ainda vivo, dessa forma tão maldita...
Vivo!
Como se todo dia fosse o primeiro de minha vida....
E minha lei é amar todo o amor do mundo,
gritar a plenos pulmões,
sorrir com todos os sorrisos,
abraçar todos os abraços:
viver intensamente!
Se for pra dizer que amo, eu digo!
Se odeio, eu falo!
Se gosto, sorrio.
Se me entristece, choro.
É assim.

Mas, tenho meu mistério,
meu segredo...preciosa jóia
resguardada em mim...gema multifacetada, multicolorida pedra
Guardo-a no fim do meu labirinto
e ela é sempre o que quebra meu equilíbrio...
Teu nome me tonteia, des-norteia...
assim como teus olhos de anoitecer...

Meu segredo mais dileto: teu nome.

Toda maciez de meus gestos,
toda languidez de meu sorriso,
toda dança de minhas palavras,
nada, nada é por acaso.
Vai que, um dia, eu te conquisto por completo?