segunda-feira, 6 de junho de 2011

Hölderlin e eu

Hölderlin, Hölderlin, abrace-me, aperte-me nos teus braços de poeta...
Sinta-me na Sagrada Natureza
assim como te sinto em cada folha que cai, de repente.
Nos rios caudalosos, nas árvores frondosas, nas nuvens cinzentas...
Sinto você em tudo de mim.
No recanto mais íntimo de meu coração,
na ideia mais louca que passe em minha mente,
você está narrado em cada linha de minhas mãos,
tua poesia percorre meu corpo em cada hemoglobina...
Sinto este amor...este divino amor...
Humana natureza do amor.
Deixa-me ser tua flor sem espinhos, deixa-me ser teu pássaro canoro.
Deixa-me, simplesmente, deter meu pensamento em ti por um só segundo,
estar em ti em um só verso, uma só letra, um só ruído.
Deixa-me estar contigo, na loucura interior da tua poesia transcendental...
Deixa-me estar contigo na dor noturna e converter-me em sonhos teus...
Todas as noites, Hölderlin, todas as manhãs áureas
por todos os tempos do Tempo.
... passa mundo, passa tempo...
Brisas hesitam,
são mulheres passantes,
nas folhas meio pigmentadas que caem suavemente
na relva orvalhada....
Pétalas róseas se destacam do musgo...
caíram, flutuando no ar um instante,
se deixando serem carregadas até o chão forrado,
verdejante...e aí deitam, repousam, ressonam...
Procuro-te, alma da natureza, onde quer que estejas
no fundo mais profundo de um abismo,
na semente da maçã mais perfeitamente vermelha,
nas carnes suculentas de um pêssego maduro...e doce,
na azaléia que nasce, cálida, no sopé de uma montanha inabitada...
Hölderlin te canta, alma da natureza, te clama, te intui...
e mesmo calado, a alma é só pressentimentos de ti.
Raios, trovões, gotas de chuva, orvalho da manhã invernal
tal como num dia de festa...
A loucura de uma alma num abismo e que vê, ao alto, um feixe de luz
que é a alma da poesia, a força da natureza
que resgata o poeta do vazio de si mesmo...do abissal desejo de evadir-se do mundo.
No silêncio, só minha voz se cala; a natureza é quem diz
o que devo escrever.
...passa mundo, passa vento...
Qualquer palavra e nenhuma ideia é válida.
Tudo para dizer o nada; nada para explicar o tudo.
Quase nenhum desejo me distrai do objeto de observação.
Qualquer nenhum diz o que é tudo, o que é totalidade.
Tudo, na nossa cabeça, é uma porção de vácuo.
Diga qualquer palavra bela. E a verdadeira Beleza se envergonhará
dos teus lábios imundos na palavra bela.
Fale corajosamente da sombra vaga que te acompanha,
do mal que penetra as ideias benévolas,
dessa voz interior que te causa calafrios,
aquela coisa silenciosa que te assombra quando tudo está mergulhado em noite,
a sensação que te aperta a garganta e não te deixa dormir nunca em paz,
a selvagem sensação do pesadelo recorrente que deixa tuas mãos suadas...
e o dia, teu dia, que acaba e sempre volta da mesma maneira:
sem esperança, sem alegria. Só dor e o enjoo seco.
Um soluço bilioso e violento...
A sensação do vômito preso e engolido.
Ou você grita agora e se liberta...ou morre sufocado
e engolido
por si mesmo.

8 comentários:

Naaman disse...

Diotina????

Naaman disse...

Corrigindo: Diotima??????

Mariana Belize disse...

Diotima de Mantinea?
Se for, acabei de conhecê-la via Wikipédia. rsrsr

Beijo!

Naaman disse...

A própria...

Naaman disse...

Não, não...
Tô meio leso... Diotima era a Susette Gontard, que era mulher do patrão dele, um banqueiro e, que quando descobriu que o Hölderlin tava faturando a dita cuja, despediu ele (Hölderlin). Ele a chamava de 'Diotima', pra esconder o jogo. A da Mantinea era a vidente do Platão. Que rolo, hein?

Mariana Belize disse...

Paaai, que fofoca boa essa, hein?
Vou contar pra todo mundo da faculdade...nunca mais virão Holderlin com os mesmos olhos...

Valeu!
Beijos.
Mari

PS: Eu sou qual das duas Diotimas? A do Hölderlin, eu suponho.

Naaman disse...

É, você não está apaixonada por ele? No poema, claro... Se a Diotima/Suzette te pega... rsrsrs

Mariana Belize disse...

Pior que não tô apaixonada por ele, mas sim pelo que ele representa na Poesia Alemã.
Eu teria que explicar isso pra tal da Suzette. rsrsrsrsrs
Beijo,
Mari