sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Dançando no escuro

Existem noites e existem loucuras...
Mas essa voz que ecoa aqui no escuro não é a sua;
não é a minha;
não é de ninguém.
Existem noites e existem loucuras...
Mas essa mão que me toca no escuro não é a sua;
não é a minha;
é a do mundo, a tentação que me extasia.
Existem noites e existem verões...
Existem olhos castanhos, verdes, azuis...
e existem os teus olhos
que me aguçam os sentidos, me ultrapassam os limites
de todos os absurdos do meu espírito...
Existem as noites vazias, existem os dias chatíssimos...
e existem os dias e noites sem a tua presença preenchendo vazios inteirores
enormes lacunas... vácuos vítreos... vida oca... espera sem sentido...

Existe o mundo.
Existe o universo.

E existe você.

Um comentário:

Carolina da Hora disse...

Em mim há um vazio de tamanho razoável dependendo de por onde se olha, que espera por alguém. Confesso esforçar-me para não pensar que essa espera será em vão, entretanto há momentos (madrugadas) em que é ipossível não sentir e às vezes ter a certeza de que estou esperando alguém que não existe e que não posso inventar.