sábado, 18 de fevereiro de 2012

7:21

Um homem dorme
na cadeira a meu lado
a cabeça pesada apoiada na mala
muito, muito mal posicionado
Não sente frio, dor nem agonia
Não vê o sol nem a flor do dia
Só enxerga a amada
nos curtos sonhos
que sua mente lhe reserva.

Acorda, homem! Desperta!
Seca as lágrimas que brilham escondidas...
Olha aqui, olha bem pra mim
Que só não te sorrio
sincera e toda por inteiro

Porque já vou partir...
Já vou partir...

Já vou.

Nenhum comentário: