quarta-feira, 23 de setembro de 2015

artista desconhecido

sempre ouço tua voz
misturada ao fremente troar das multidões
e ela é o próprio silêncio
entre uma música e outra que toca
nos fones de ouvido
do meu espírito

/belize/

Nenhum comentário: