quarta-feira, 30 de setembro de 2015

lágrima

quando te vi
o céu abriu
e a gota d'água
lunar
era escarlate


já era o prenúncio das dores
seja da tua partida
seja do teu
nunca
retorno


penélope puída
rasguei a mortalha
cobri-me de lua
tua

Nenhum comentário: