quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Inevitável

tantos livros que li
sem olhos de ler
tantos livros que escrevi
sem acordar dos sonhos
tantos bons poetas que conheço
morrendo aos poucos
de fome
tantos maus poetas que conheço
morrendo também
de veneno próprio

tantos palhaços que amo
e que não me fazem rir...

tantas coisas que escolhi
tantas que deixei

o arrependimento é

Nenhum comentário: