domingo, 25 de outubro de 2015

Buquê

uma rosa ecoou na cachoeira
feito um grito do quilombo
foi Zambi quem mandou
e quando a lua se encantou na pele dela
foi de dentro da onda brava
que Iansã bradou:
Eparrêi! Eparrêi!

uma rosa no jardim apareceu
feito uma canção das terras do lado de lá
e na Aruanda um índio coroou
a guerreira mais forte, mais esperta
e mais faceira
e, quando ela, desceu a ribanceira
encontrou a cachoeira e
começou a cantar:
Oraieiê, Oxum! Oraieiê!

Salve as Iabás!
Salve todas as mães!
Salve a Rainha do Mar...
e a Avó do Mundo...
Salve Nanã!


Nenhum comentário: