sábado, 3 de outubro de 2015

Desmaio

larguei a poesia
abandonei meus cadernos
deletei meu ritmo
esqueci meus sonhos
calei as músicas
joguei fora as tintas
rasguei as roupas
raspei a cabeça
queimei meus tênis
fui pra rua
catei lixo
comi vermes
fumei cigarro roubado
dormi ao relento
não dou detalhes
da execução noturna
quando os homens
vinham sobre mim.
queimaram meu corpo.
tripudiaram minha sorte.
e nem a morte
veio recolher meu cadáver...

entreguei-me ao Mar.
e fugi.


Nenhum comentário: