sábado, 31 de outubro de 2015

estômago de Ganesha

hoje acordei sem as palavras que continuamente acordava
rodando e batendo nas paredes da minha cabeça
numa encruzilhada com muros
sem guardiões

mas eu sonhei
e dentro do sonho
as histórias são outras
as pessoas não se escondem
as ideias são mais claras

e meus esquemas se coordenam
organizadamente
de pleno acordo
com tuas canções

já era.
todos os meus galpões de sonho
celebrarão a sacradança.

não sei até quando...
talvez, alegremente
eternamente.

minhas mãos estão tremendo
de Samsara
meus olhos embaçados
de Maya
meu corpo sagrado cantando
o Tantra
as mentes concentradas e fluidas
no mantra.

Om.

Nenhum comentário: