terça-feira, 8 de dezembro de 2015

desabafo

Não é literatura, garanto. Pode ler sem medo de ter que dar prêmio ou falar mal. É só alguma coisa pra desafogar o interno. As palavras vêm vindo ainda estranhas, inconformadas com a minha amargura contínua. Sempre me perguntam meus motivos. Nunca sei o que responder. O texto será longo, não será revisado. Será calado. Não será lido em canto algum. Nem respondido. Ficará aqui, sorvendo os bits do blogger por algum erro de cálculo que não me permitirá deletá-lo depois de escrever. (O que seria o mais correto nesse caso.)
Ando cansada. Sempre. Olho pro céu uma vez na semana. Estudo umas coisas inúteis. Escrevo outras mais idiotas ainda. Eu deveria me deletar.
Reclamo.

Amanhã vou lavar minhas reclamações naquele oceano enorme que você vê todo dia. E talvez eu até esqueça umas coisas por lá mesmo.

Você, por exemplo.