sábado, 23 de janeiro de 2016

episiotomia

a escrita é um parto cada vez mais complicado
enquanto nasce a cabeça
já sei que os ombros não vão passar
e o choro inunda o sangue
o bisturi me ataca
ao útero se atraca
e de barriga aberta
pareço até morta

a escrita é um parto cada vez mais complicado
estamos os dois com os olhos vermelhos
a criança é nascida estrangulada
o poema entupiu o cordão
umbilical
o sangue nasce pisado
como sal insípido

meu filho não vai ter raiz
e já me vem outro verso...