sábado, 9 de janeiro de 2016

Homilia

Para Saito, aquele que não entende

tem noite que sonhar
é luxo

levantar a cama
corpo jogado pelas paredes
agarrar os restos

os dias são  noites que estamos perdidos
não me deixo morrer

não estou me permitindo mais
esse lixo

de viver
aquilo que encaminha a humanidade

tem noite que
estranhar a realidade
é questão

de necessidade

questiono o destino:
o que pintar
eu desafino