terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Insônia

enquanto durmo
e tua sombra faz
silenciosa segurança
do meu espírito

o olho que abro
no meio da testa
divino encanto
que me desilude

teus olhos
máscaras do meu desatino
e já não te escuto.
No silêncio,

tua sombra se despede
fecha a porta
... mas sempre deixa teu perfume.