quinta-feira, 3 de março de 2016

Crendo

agora
se eu fizer aquelas mil perguntas
e jogá-las no escuro
pra você se perder,
você ainda volta a me procurar?

agora,
se eu cantar na madrugada
dentro do quarto crescente
e encontrar todas as tuas rimas perfeitas,
você ainda volta a me buscar
no teu primeiro violão?

agora,
se eu me jogasse dessa janela
se eu me jogasse dessa janela
se eu me jogasse

nos teus braços?

Se eu fosse na praia
você estaria largado lá
feito uma concha perdida

agora?