quinta-feira, 21 de abril de 2016

Hino ao amor

Eu sou o malandro sentado na soleira da porta, sou aquele que espera a pequena, minha morena, voltar dos campos de flor. Eu sou o malandro do branco e vermelho, meu sangue correndo pelo rio dos olhos dela. Só eu sei... Eu sou o malandro da água do fundo da pedreira, sofria dentro dentro da pedra, gerado. Fui parido do ventre do mundo. A mãe eterna terra. A água de lágrima e vento.
Eu sou o malandro que espera e canta a saudade da pequena que cabe no meu abraço. Minha morena de coração de rosa, pele de pétala, cabelo da cor da noite e olho bonito da amêndoa. Eu sou o malandro da soleira da porta e o que posso esperar?
Espero meu amor, minha vida, espero minha pequena morena, luz do sol e flor da minha estrada.
Sou Malandro.

Nenhum comentário: