terça-feira, 14 de junho de 2016

Em junho

o sentimento só é verdade quando sonho
aí já sei que ele tá na camada mais profunda da minha mente

ontem sonhei que apontava pra igreja de são joão de meriti
e assumia minha cidade
como meu estado de emergência

a baixada fluminense é uma coisa que vai invadindo a gente
aos poucos
nascer aqui não é estar aqui

a baixada fluminense é uma parada que vai rolando dentro da gente
aos poucos
alguns estão longe
e são doutores empurrando seu japeri
com a barriga

a baixada fluminense é meu coração em brasa
de Brasil em brasil a gente vai ardendo
em dor, em amor, em sabe-se lá deus o quê

a baixada fluminense é parida
aos poucos
e, entre dores, nascem lótus em raps
jubas de Judá
e foi de dentro da Baixada Fluminense
ela me deu outra chance

tô eu aqui nascida
de juba e loucura
e arte coberta de miriti, poesia
de são joão
soltando balão.

foi assim que larguei mão dele
minha avenida nossa senhora de copacabana
podre feito ipanema
e a urca brilhou nos olhos dele

foi assim que larguei ele
no meio da praça
em são joão de meriti
repito
são joão de meriti

foi assim que o santo me assumiu
incorporou
a baixada fluminense é um espírito
que me toma

foi aí que assumi também
meu divino estado de emergência
meu tamanho estado de emergência
meu sinistro estado de emergência

olhei pra frente
encarando os vitrais flamejantes
gritando:
Aqui é meu estado de emergência!

Salve São João, Salve Xangô, meu Meriti!