terça-feira, 7 de junho de 2016

Sargaço

tem mistérios que descubro no metrô
em relances de passagens obscuras
ele passeia entre os acordes, eu observo
titã oceânide.

fluindo julgamentos nos passantes
a barra da minha calça
enlameada
de belford roxo.

tirânica criatura
meu bem, meu mal
a madrugada inspira
o labirinto

no centro do meu peito,
a flecha, o veneno
a paixão

lamento.

Mariana Belize