sábado, 17 de setembro de 2016

Fúria

Para André, personagem do livro "Lavoura Arcaica"

instante violento
ímpeto paralisante
acelerado contorno
início fraudulento

a mentira que te abarca
é antiga e deprimida
não mora em ti a semente
do encanto nem da vida

inveja uterina do amor
inacabado
a criança eterna
cheia de manhas
e odes ao patriarca
não, ódios

sangra o pescoço da fêmea
que querias
e não choras
a saída está aberta
teus pés já não acendem as
labaredas

a roda manchada
do teu desejo
a maldade do poder
está no falo

o círculo do útero
te engula
e a terra divina mãe
te cuspa
e teu corpo não encontre
descanso

Caim, te conheço
desde o início dos tempos...
sai dessa de abandonado
larga a faca
e
cresce.

Nenhum comentário: