sábado, 10 de dezembro de 2016

Plutão

carrega o mistério, tirano
e me embriaga.
vem.

a lua guardada tem um
espelho quebrado...
vem.

a voz rouca invade a noite.

carrega o mistério, tirano
mas não a vida.

Perséfone tem seu cordão amarelo:
o sol vindouro
escondido no ventre.

carrega-me nos ombros, tirano.
vem.

meu olho lunar te adivinha.
Tirano, vem.

Nenhum comentário: