sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Rotina

Para Murilo Mendes

Cansada dos homens difíceis
ouço apenas o clamor das noites
e me mantenho invisível
desviando dos olhares caçadores.

Retomo meus versos
sem me preocupar com leitores.

A vida em si é um tormento
da qual me recupero
com doces, músicas
um pouco de Beethoven
e a poeira da rua.

Apresento a mim mesma
um roteiro irônico
perfumado por incensos.

A vida é um trauma
sem explicação
a não ser na poesia.

Murilo, eu te acompanho em pensamento
tentando colocar minha cabeça em ordem
mas não desprezo teus versos nem teus sonhos
só que a lua, o sol, as sereias lânguidas

não vão me fazer ressuscitar de encanto.

Murilo, Murilo...

Nenhum comentário: