quinta-feira, 8 de junho de 2017

Sobre ele, ainda

o mesmo olho, o mesmo cabelo, a mesma força
a mesma chama, a mesma profecia, as mesmas orelhas
a testa pequena, a boca descarnada, a garganta frágil
a pele de leite azedo, o coração de lâmina açucarada
a língua, pétala;
sua música, mística.
Olho de tigre da Polônia...
olho da pedra-braseiro
no meu peito.
Amo Kafka, o de sempre.
Amo ele... o de hoje:
Inominável mistério
eterno.

Mariana Belize.
sábado, 27 de maio de 2017

Nenhum comentário: